Monday, December 26, 2005


há um motor no sangue dos silêncios dos cantos das estátuas
e há as crianças cheias de tempo que me caçam o espírito
vestidas de pólen e de sol roto.
sempre que se me acaba a vida

há abissínias de mensagens
e subir aos corais

e lamber as margens dos rios das nascentes de barro vermelho.
perto dos olhos onde os feiticeiros se divertem e vendem as tintas
quero a prata dos ourives que batem na luz e as capas dos cordeiros para as mãos.

4 Comments:

Blogger Pinto Ribeiro said...

roto?....tá bém...ora boa tarde. bjs.

December 27, 2005 7:36 AM  
Blogger deumus said...

passa pelo cavaco.

December 27, 2005 7:48 AM  
Blogger porfirio said...

parabéns... tens um motor de alta cilindrada!

jinho

December 27, 2005 12:39 PM  
Blogger meiekita said...

o silêncio é talvez a melhor mensagem para deixar aqui. Como sempre, fabuloso!

December 29, 2005 6:55 AM  

Post a Comment

<< Home