Wednesday, March 15, 2006

.e se as crianças fossem extensas como os pés
e ferissem o tempo repleto de passos.
e se um reflexo o sangue de ponta a ponta
perderia o amor nas finas temperaturas do texto
e nunca mais seria possível.assim se trabalha o verbo.nos recintos em que as válvulas se destapam e somos súbitos e solares.os equinócios do corpo servem os anéis das estrelas.
porque múltiplas são as mortes que se empinam noite inteira.

cristina néry

1 Comments:

Blogger meiekita said...

Bem... empinar?!?!?!? Pela noite fora???!!!

Eu sei, eu sei... é bem mais sério do que isso!:)

March 18, 2006 8:04 AM  

Post a Comment

<< Home